Nepal Auspicioso

 

R$7.200,00Adicionar ao carrinho

Dia 1 • Brasil – Nepal

Início de nossa jornada a um dos lugares mais místicos e espiritualizados do mundo, onde passaremos momentos inesquecíveis visitando lugares e monastérios sagrados, os artesãos de estátuas em bronze, escola de pintura de thangkas, recebendo as bençãos dos Rinpoches, massagens e consulta de medicina tibetana, cuidando assim tanto da nossa mente, como do nosso corpo.

Chegada ao Aeroporto Internacional de Tribhuvan em Kathmandu e translado para a Shechen Guest House.

A Shechen Guest House fica dentro do monastério Shechen e apenas a 3 minutos à pé da Estupa de Boudhanath. Consta com um maravilhoso jardim e um restaurante vegetariano onde desfrutaremos das deliciosas comidas típicas do Nepal e do Tibet. Estaremos diariamente em convívio com os monges do monastério podendo, inclusive, participar pelas manhãs e às tardes, das práticas e rituais budistas no monastério.

Depois de devidamente instalados, visita à Estupa de Boudhanath, um dos templos budistas mais sagrados de Kathmandu. Este enorme e maciço edifício, é uma das maiores estupas semi-esféricas do mundo e o templo budista tibetano mais sagrado do mundo fora do Tibete.

A estupa propriamente dita, uma torre quadrangular dourada que se ergue 36 metros acima do nível da praça onde se encontra, assenta sobre um enorme bahal – uma grande plataforma branca com três níveis em forma de mandala com 120 metros de diâmetro que, aparentemente foi inspirada por uma existente em Gyantse, no Tibete. Construída sobre os restos mortais de Amshuvarna, o rei que governou Kathmandu no século VII, ela é o maior e mais sagrado templo budista tibetano do mundo fora do Tibete. Rodeada por mais de 50 monastérios, lojas, restaurantes e cafés, foi tombada como patrimônio Histórico Mundial pela Unesco em 1.979.

De volta à Shechen Guest House, hora de receber uma relaxante massagem Ayurvédica.

Dia 2 • KA-NYING – SHECHEN – DUJOM RINPOCHE

pela manhã, iremos ao Ka-Nying Shedrub ling que é um mosteiro budista tibetano com ligações com as linhagens Kagyu e Nyingma (Ka-Nying). o 16o Karmapa instruiu Tulku Urgyen Rinpoche a fundar um mosteiro no Nepal. Tulku Urgyen obedeceu, levando sua esposa e dois filhos, Chokyi Nyima Rinpoche e Chokling Rinpoche. A construção começou em 1.972, e o mosteiro foi dedicado em 1976 ao Rei Birendra. Tulku Urgyen faleceu em 13 de fevereiro de 1996 quando então, Chokyi Nyima Rinpoche o sucedeu como abade (seu irmão Chokling Rinpoche tornou-se Mestre Vajra). Depois, visitaremos a casa dos Rinpoches para recebermos bênçãos.

Em seguida, visitaremos o monastério Shechen – fundado em 1.980, perto da grande Estupa de Boudhanath. É habitado por mais de 300 monges e ali são ensinadas artes como música, dança, pintura e filosofia budista. Sua escola primária fornece uma educação moderna para crianças entre 5 e 14 anos. o presente abade é o 7o Shechen Rabjam Rinpoche, neto de Dilgo Khyentse. São membros proeminentes do mosteiro o Yangsi de Dilgo Khyentse, Changling Rinpoche e Matthieu Ricard. Ainda contaremos com uma consulta de medicina tibetana.

À tarde, iremos conhecer ao monastério Dujom Rinpoche.

Dia 3 • CAVERNA DO GURU RINPOCHE – CHATRAl RINPOCHE – PENOR RINPOCHE

pela manhã, iremos a pharping onde se encontra a caverna Asura, sagrada caverna do Guru Rinpoche. No lado superior esquerdo da porta de entrada, está gravada na rocha a mão do Guru Rinpoche. Foi nesta caverna que padmasambhava, o grande mestre de orgyen e um de seus principais discípulos, langchen palgyi Senge, abriram a mandala do grande e glorioso Drekpa Kundul. Deram aos espíritos iniciações Vajrayana e os ataram sob juramento a obedecer suas ordens.

Tulku Urgyen Rinpoche restaurou a caverna no final dos anos 1980, início dos 1990, construiu um mosteiro chamado pema osel ling que circunda a caverna e uma casa de retiro de três anos. As três imagens principais consagradas dentro da caverna são os de Guru Rinpoche, Yangdak Heruka e Vajrakilaya.

Em seguida, visitaremos o monastério de Chatral Rinpoche, um mestre Dzogchen e recluso yogi conhecido por sua grande realização e disciplina rigorosa. Além de seu relacionamento com Khenpo Ngagchung, Chatral Rinpoche estudou com alguns dos mais renomados mestres do século passado, incluindo Dudjom Rinpoche, Jamyang Khyentse Chokyi lodro e a famosa Dakini Sera Khandro.

por fim, iremos conhecer o monastério de penor Rinpoche onde foi construída uma estátua do Guru Rinpoche com 60 metros de altura.

Dia 4 • NAMOBUDDHA – THRANGU RINPOCHE

Pela manhã, sairemos em viagem a Namobuddha, um importante local de peregrinação budista do Nepal e uma das três principais estupas do Vale de Kathmandu. Situada cerca de 40 km a sudeste da cidade, a estupa construída sobre os ossos e cabelos de príncipe Mahasattva, ergue-se na encosta da colina Gandha Malla. De acordo com os Sutras, Jatakas e vários, Mahasattva foi uma das encarnações do Buda Shakyamuni. Era o mais novo dos três filhos do rei Maharatha. Um dia, os três irmãos estavam andando pela floresta, quando viram uma tigresa com cinco filhotes. Ela havia acabado de dar à luz e estava tão enfraquecida e com tanta fome que mal conseguia se mover. os três príncipes foram embora, mas Mahasattva decidiu voltar e começou a cortar sua própria carne para alimentar a tigresa. Quando seus irmãos foram procurá-lo, encontraram apenas seus ossos e cabelos. Seu próximo renascimento foi como o príncipe Siddharta Gautama, em lumbini.

Depois, visitaremos o monastério de Thrangu Rinpoche que nasceu em Kham, no Tibete em 1933. Aos quatro anos de idade foi formalmente reconhecido por Sua Santidade o 16o Karmapa e o 11o Tai Situpa como a 9a encarnação do grande Thrangu Tulku, o abade do Mosteiro Thrangu, cuja raiz encarnação foi Shüpu palgyi Senge, um dos vinte e cinco discípulos de Guru Rinpoche. É o principal professor da tulkus Karma Kagyu e foi nomeado por Sua Santidade o Dalai lama também para ser o tutor pessoal para Sua Santidade o 17o Karmapa.

pela manhã, sairemos rumo à Estupa de Swayambhunath – Swayambhu significa “Auto-Manifesto”. Este complexo de estupas foi construído especialmente ao redor de uma pequena estupa de cristal que surgiu espontaneamente em cima da colina, ou uma flor de lótus que irradiava luz natural, na época de Buda Shikhin. A colina Swayambhunath que, segundo Trulshik Rinpoche, tem sido abençoada por milhares de Budas e será abençoada por todos os Budas deste kalpa, é, muitas vezes, considerada o local mais sagrado de todo o Vale de Kathmandu.

De acordo com o 7o Dalai lama, a estupa é a fonte de toda a felicidade do mundo. De acordo com os relatos tradicionais, ela estava no meio de um grande lago quando Manjushri e dois amigos a viram a caminho de Wu Tai Shan, da China para o Nepal. Manjushri achou a estupa tão incrível que pensou como poderia tornar possível para os peregrinos irem a pé até ela para suas práticas devocionais. Então, cortou a montanha com sua espada e a água derramada por quatro dias e quatro noites, produziu o lago Madara, em Chobar, que fica no caminho para pharping.

Depois, iremos ao monastério Kopan, um mosteiro budista tibetano perto Boudhanath, nos arredores de Kathmandu. o mosteiro foi estabelecido pelos fundadores Thubten Yeshe lama e Thubten Zopa Rinpoche, que comprou a propriedade do astrólogo real do Nepal em 1969. Seu nome vem do nome da colina sobre a qual foi construído. Kopan tornou-se especialmente famoso por ensinar o budismo tibetano aos estrangeiros ocidentais.

Dia 6 • KATHMANDU – LUMBINI

Sairemos bem cedo em direção à lumbini, cidade onde nasceu o Buda.

lumbini é um dos quatro locais de peregrinação budista baseados em ocorrências importantes na vida do Buda. Situado no sopé dos Himalaias, no Nepal, o lugar é um grande jardim com um bosque de árvores pipal. A área em torno de lumbini é totalmente Hindu, mas muitos templos budistas e santuários de várias nações estão espalhadas ao redor do próprio local sagrado.

Segundo a tradição budista, Maya Devi (ou Mayadevi) deu à luz ao Buda no caminho para casa de seus pais, em Devadaha, no mês de maio do ano 642 A.C. Sentindo o início do trabalho de parto, ela agarrou os galhos de uma árvore e deu à luz a Siddharta Gautama, o futuro Buda. o Buda disse ter anunciado, “Este é meu renascimento final”, como ele entrou no mundo e, segundo a tradição budista, também é dito que ele andou imediatamente após seu nascimento dando sete passos, sob cada um dos quais, floresceu uma flor de lótus.

Dia 7 • LUMBINI

Em 249 A.C., o imperador Ashoka visitou lumbini e construiu quatro estupas e um pilar de pedra. o pilar de Ashoka ostenta uma inscrição que se traduz como: “Rei piyadasi (Ashoka), Amado de Devas”. É protegido por uma pequena cerca e decorado com bandeiras de oração e bandeiras de fiéis.

Mosteiros e templos foram construídos em lumbini até o século IX, mas o Budismo declinou na área após a chegada do Islã e depois, com o Hinduísmo. Tudo o que restava era uma escultura, reverenciado por mulheres locais como um símbolo de fertilidade. o jardim do nascimento do Buda ficou perdido por mil anos e redescoberto em 1.895 por um arqueólogo alemão. Registros feitos pelos chineses também foram utilizados no processo de identificação deste lugar sagrado. Em 1.997, lumbini foi designado como património Mundial pela UNESCO.

o templo mais importante em lumbini é o Maya Devi , que consagra o local tradicional do nascimento de Buda. o templo atual está no local de templos e estupas anteriores, incluindo a estupa construída por Ashoka.

o templo moderno consiste, principalmente, em um edifício branco simples que protege ruínas antigas, com o ponto exato do nascimento do Buda. As delicadas esculturas de arenito descobertas aqui, agora fazem parte do acervo do Museu Nacional, em Kathmandu.

No topo do templo temos uma pequena torre quadrada com os olhos do Buda em cada lado e um pináculo de ouro no topo. No lado sul, há um lago sagrado onde se conta que Maya Devi banhou-se antes de dar à luz e onde o recém-nascido Buda foi lavado por dois dragões. o templo Maha Devi é rodeado pelas fundações de tijolos de antigos templos e mosteiros.

Dia 8 • LUMBINI – POKHARA

Pokhara é a capital da região oeste do Nepal situada a 200 quilômetros a oeste de Kathmandu, à beira do lago Fewa. por seu clima ameno e sua localização próxima ao Annapurna, uma das mais altas montanhas dos Himalaias, com ruas tranquilas e agradáveis e à beira do lago pewa, pokhara é procurada por turistas de todo o mundo.

o lago pewa é uma de suas atrações e onde pode-se alugar canoas para passear. As eternas neves no topo do Annapurna refletidas em suas águas, compõem um visual maravilhoso e, remando, é possível alcançar quase qualquer ponto de suas margens, onde há aldeias e praias de pedregulhos.

Dia 9 • POKHARA – KATHMANDU

Voltaremos a Kathmandu e receberemos mais uma relaxante massagem Ayurvédica ou Thai (à sua escolha).

À tarde, tempo livre para compras.

Dia 10 • GOLDEN TEMPLE – MAHABUDDHA TEMPLE – PATAN

Pela manhã, iremos a patan, famosa por seu artesanato. localizada no Vale de Kathmandu, no lado sul do rio Bagmati, patan é uma das três cidades reais do vale, sendo as outras Kathmandu e Bhaktapur. lá, visitaremos o Templo Dourado, ou Golden Temple (Hiranya Varna Mahavihar), construído no século XII pelo rei Bhaskar Verma. Este mosteiro budista é decorado com uma fachada de ouro, quatro grandes portais, a torre do relógio e duas esculturas representando leões.

Após, iremos ao templo Mahabuddha, o Templo dos 1.000 Budas. Construído no final do século XV e feito de telhas de terracota, cada tijolo de sua estrutura traz a imagem do Buda. Derrubado por um terremoto em 1.934, foi reconstruído, embora com um desenho um pouco diferente.

por fim, visitaremos patan Durbar Square, situada no coração da cidade e que constitui o foco de atração de visitantes. A praça está cheia de palácios, templos e santuários conhecidos por suas esculturas requintadas. pode-se vasculhar em busca de tesouros em várias lojas ao redor da praça. A principal atração de patan Durbar Square é o próprio antigo palácio Real. Composto de três chowks (ou pátios principais): Mul Chowk, Sundari Chowk e Min Keshab Narayan Chowk. No canto nordeste do pátio fica a torre octogonal do templo Taleju Bhawani construído pelo rei Shree Niwas Malla em 1.667. o Sundari Chowk tem em seu centro uma obra-prima da arquitetura de pedra, o Banho Real chamado de Tushahity.

Dia 11 • NAGI GOMPA

pela manhã, partiremos a caminho de Nagi Gompa. Empoleirada no alto das encostas verde-esmeralda do vale de Kathmandu, a ermida Nagi Gompa – uma subsidiária do monastério Ka-Nying Shedrub ling – ressoa a cada dia com a entonação de tambores, pratos, chifres e cânticos cânticos devocionais rítmicos.

Consagrada em 1.962 por Sua Santidade o 16o Karmapa, Nagi Gompa é composta de 12 hectares de terrenos florestais Dentro do Shivapuri Wildlife preserve. Karmapa nomeou o renomado mestre Dzogchen, Tulku Urgyen Rinpoche, como abade. Até a sua paranirvana em 1.996, ele passou mais de 30 anos em retiro em Nagi Gompa.

Com profunda clareza e convicção, Tulku Urgyen reconheceu a igualdade inerente a homens e mulheres e de seue potenciais inatos para o despertar de suas próprias naturezas iluminadas. portanto, Nagi Gompa há muito tempo oferece às mulheres uma gama completa de formação em educação litúrgica e religiosa em meio a um ambiente de clausura. Mais de 100 monjas com faixa etária entre 9 e 90 anos vivem em Nagi Gompa.

Dia 12 • KATHMANDU

Visita à escolas de pintura de thangkas tibetanas.

Dia 13 • KATHMANDU

Dia livre para compras e meditação no monastério.

Dia 14 • NEPAL – BRASIL

Manhã livre para as compras, translado ao aeroporto e embarque para o Brasil.

Chegamos ao fim de nossa jornada espiritual.
Que os méritos e as bençãos recebidos, e todas as que viermos a conseguir, ofereçamos para o bem-estar dos seres sencientes. Que todos estejam livres do sofrimento e das causas do sofrimento até que alcancemos a iluminação completa.

SARVA MANGAlAM.

>>>>>>ENTRE EM CONTATO PARA MAIORES INFORMAÇÕES E COTAÇÕES

Ⓒ 2017 - Amrita Viagens